sábado, 14 de fevereiro de 2009

Em defesa da Escola Pública e de seus profissionais

É lamentável ver o que tem sido escrito na mídia e em muitos blogs sobre a educação pública. Fico indignada com tanta mentira e tanta besteira, de pessoas mal informadas, ou mal intencionadas, que escrevem em blogs ou que deixam comentários preconceituosos contra as escolas públicas, contra seus profissionais e seu público.

Pessoas da dita "Classe Média", que são metidos a "Elite" dizem agora que as escolas públicas viraram guetos, ou depósitos humanos, e que a função da escola dos pobres (assim chamam a escola pública) é mesmo só fornecer merenda ou um ensino profissionalizante.

Absurdo! Então os filhos da classe trabalhadora não tem direito a educação de qualidade? Não tem direito a prestar vestibular? não tem direito a formação universitária?
Para essas pessoas direitistas metidas a elite me parece que não!

Quero deixar aqui meu exemplo e um desabafo.
Eu estudei minha vida toda em escola pública, desde o pré-primário até terminar o ensino médio. Sem cursinho pré-vestibular, consegui ingressar na UNESP de Rio Claro, onde me graduei em Geografia e posteriormente fiz mestrado em Geografia. Quero dizer também que minha mãe é e sempre foi empregada doméstica, meu pai, pouco ajudou a familia. Meu padastro, que ajudou minha mãe a me educar foi metalúrgico e hoje é vigilante.

Tenho orgulho de ser professora da rede pública, sou efetiva da rede há 5 anos, nunca enviei currículo algum para as escolas particulares, porque meu dever é oferecer formação e oportunidade para os jovens, para que eles possam ter direito a educação pública, gratuita e de qualidade, para que possam ter melhores condições de vida e de trabalho. Tenho compromisso com a transformação social, e acredito que só a Educação leva a essa transformação, sendo este o verdadeiro papel da escola pública.

Sou Também militante da Apeoesp, e quero dizer que o sindicato não é contra a educação, como foi dito por muitos. Somos contra a retirada de direitos, e defendemos o concurso público, pois há 100 mil professores temporário, contratados de forma precária. Porque o governo do Estado não abre concurso para efetivar os professores já que há tantas vagas?

O Governo de São Paulo, não oferece condições de trabalho digna para os professores. Os jovens não procuram cursos de graduação, e logo faltará profissionais capacitados para dar aulas. O Estado paga baixos salários e não investe nas escolas públicas tanto quanto deveria. Eu mesma, estou há dois anos esperando para receber minha evolução funcional (aumento de 15% no salário) por conta do mestrado. Até hoje não me pagaram o que é meu direito. Sinto que não sou respeitada e valorizada pelo governo, mas não é por isso que deixo de fazer meu trabalho com dignidade e de cabeça erguida.

Tenho orgulho de ser professora da escola pública.

Este é um desabafo.

Já Basta!
Nós professores merecemos respeito e ser tratados de forma digna pelos meios de comunicação.
Merecemos respeito da Secretaria da Educação, da sociedade e demais segmentos do poder público.

Um comentário:

Professora Hilda Helena disse...

Oi!!!
O importante é não desistir...
Somos professores,e queremos uma escola pública de qualidade e não devemos ter medo!!!
A luta é grande,e não devemos desacreditar dos nossos sonhos educacionais...
Um abraço!!!
Parabéns pelo espaço e não desista!!!!Estou te acompanhando!!!